Você está aqui
Home > EUROPA > Europa > França > Grenoble majestosa no sopé dos Alpes

Grenoble majestosa no sopé dos Alpes

Localizada aos pés dos Alpes e a uma curta distância de Lyon e de algumas das estações de esqui mais famosas da França, Grenoble é a segunda maior cidade da região de Rhône-Alpes e também a capital do Departamento do Isère. Fundada em 43 a.C., Grenoble é um local que une com maestria o passado, o presente e o futuro. Ao mesmo tempo em que conta com atrações históricas, como sua antiga bastilha, é também sede de quatro importantes universidades francesas, além do CEA (Comissariado de energia atômica e energias alternativas). Um município de espírito jovem, que olha para o futuro sem esquecer do passado.

Como uma cidade universitária, alguns dos prédios de maior destaque de Grenoble são de faculdades. Dentre as mais famosas figuram a Université Joseph Fourier, dedicada ao estudo de ciência, tecnologia e medicina, a Université Pierre Mendès France, especializada em ciências sociais, a Université Stendhal, famosa pelos cursos de línguas e literatura, e ainda o renomado Institut National Polytechnique de Grenoble, uma das melhores escolas de engenharia da França. Mesmo quem não é estudante não tem como deixar de ser contagiado pela enorme e animada massa de jovens que parece estar em todos os lugares e ruas de Grenoble.

Grenoble também se tornou conhecida ao sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 1968. Ao longo da cidade, é possível observar algumas instalações que foram usadas para o evento.

O centro de Grenoble é muito bem preservado, com construções históricas, igrejas e o delicioso La Halle Saint-Claire, um mercado que vende produtos frescos típicos da região dos Alpes. Uma excelente oportunidade para comprar queijos, vinhos, pães e outras iguarias alpinas.

Mas uma visita a Grenoble não é completa sem a subida ao ponto mais famoso da cidade: La Bastille, uma série de antigas fortificações localizadas no topo da montanha, de onde se tem uma vista espetacular de Grenoble. Este é considerado o primeiro teleférico urbano do mundo. Cada cabine leva no máximo 6 passageiros. O bilhete “round trip”, que dá direito à subida e à descida com o funicular, custa 7,50 €. Para apenas um trecho, o custo é de 5,15 €. Crianças, idosos e estudantes têm desconto. Veja a tabela de preços completa aqui.

A mais famosa atração turística da cidade, é o teleférico que atravessa o rio e sobe até o mirante situado no topo da montanha em frente. A estação de embarque é junto à margem sul do rio, frente ao Jardin de Ville. Não apenas o passeio é emocionante, mas também da outra extremidade da linha, onde fica o Fort de la Bastille, tem-se a melhor vista de Grenoble.A subida até a bastilha é imperdível. Sem dúvida, o melhor passeio de Grenoble. Para chegar ao topo da montanha, você deve tomar o teleférico “funicular”, que existe desde 1934 e, com seu formato de “ovo envidraçado”, descortina lindas vistas da cidade enquanto faz seu trajeto rumo à bastilha.

Lá de cima, a visão que se tem de Grenoble é espetacular. Dá para enxergar os principais pontos da cidade, como o centro histórico, as universidades e o centro de energia atômica, além das montanhas alpinas nos arredores. Também é possível caminhar pelas ruínas das fortificações, andar pela área de preservação natural onde fica a bastilha e ainda praticar esportes radicais, como escalada, espeleologia e tirolesa. E ainda há diversos pontos de observação espalhados pelo local, com explicações sobre a história de Grenoble.

Em  seu papel de cidade jovem e inovadora, Grenoble também é uma das maiores cidades universitárias do país. Acolhendo muitos executivos estrangeiros, o local se dotou de uma cidade escolar internacional, onde os estudantes podem usufruir de um ensino secundário bilíngue de excelência em inglês, alemão, espanhol, árabe, chinês ou… Português.

Uma cidade vibrante, com atrações históricas muito bem preservadas, que convivem lado a lado com modernas universidades e centros de pesquisas. Tudo isso, aliado a uma boa gastronomia e à proximidade de cidades como Lyon e de algumas estações de esqui tornam Grenoble uma excelente opção de passeio, imperdível para quem for explorar os Alpes Franceses. Tratando-se do ensino superior, Grenoble conta com 65.205 estudantes, dos quais 15% são estrangeiros (por exemplo, 44% dos 3.500 estudantes inscritos em doutorados possuem outra nacionalidade). A universidade de Grenoble foi uma das primeiras fundadas na França, no ano 1339.

Grenoble dispõe de muitos museus, tais como o museu arqueológico Grenoble – Saint Laurent e o Museu da resistência (as montanhas perto da cidade viram lutas sangrentas entre as tropas italianas e alemãs, além da resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial). Por fim, nas portas da cidade, os mais curiosos poderão aproveitar sua estada para visitar a linda cidade medieval de Saint Antoine l’Abbaye e o castelo de Vizille, que abriga o museu da Revolução Francesa e que, para os mais românticos, celebra casamentos nos fins de semana.

Grenoble é cercada por uma natureza privilegiada e as regiões de Vercors, Belledonne e Chartreuse estão entre as mais bonitas do país. A pouca distância ficam ainda os parques naturais de Oisans e Trièves, e para quem dispõe de mais tempo para explorar a região, vale esticar até Maurienne, Ecrins e Tarentaise, a cerca de 90 minutos de carro de Grenoble.

O filósofo Stendhal dizia que “em Grenoble no fim de cada rua existe uma montanha”, e elas são realmente uma presença constante na cidade. Algumas chegam a dois mil metros de altitude e constituem um convite irresistível a diversos tipos de atividades esportivas, como montanhismo, caminhadas e passeios de bicicleta, sendo que no inverno os esportes praticados na neve e gelo predominam.

A cidade é bem dotada de transportes rodoviários e metroviários (“tram”), mas grande parte dos habitantes utiliza-se das bicicletas para suas diversas atividades. Pode-se encontrar bicicletas a preços bastante razoáveis nos murais de informações das universidades, centros de pesquisa e residências universitárias. O seu aluguel também é possível, na loja situada no subsolo da Gare.

Alguns pontos imperdíveis de uma visita à Grenoble são a Vieille Ville, o Hotel de Ville e seu pátio, a Église de Saint Laurent e sua cripta. Visite também o Musée des Troupes de Montagne, que conta a história das famosas tropas montanhesas de elite da França, que tiveram importante participação nas batalhas travadas nos Alpes, durante a 2a guerra.

A cidade é cortada por dois rios: o Isère e o Drac. O Isère separa a Bastille do centro histórico da cidade. Há diversas pontes ligando os dois lados.

A cidade é rodeada de montanhas e fica a cerca de 30 minutos das estações de esqui. Devido a suas características geográficas, o inverno é bastante rigoroso e o clima no verão é muito abafado, quando as temperaturas chegam a quase 40°C. Não por acaso, durante os meses de julho e agosto a população costuma se refugiar nos lagos localizados nas montanhas, formados em geral pelo degelo. Uma característica pitoresca da população é a sua simpatia. Não é difícil estabelecer amigáveis conversas nos ônibus, supermercados ou até mesmo nas ruas.

Place Notre Dame, onde se localiza a igreja de mesmo nome, a capela Saint Hughes (do século III d. C., reconstruída há uns 800 anos) e o Musée de L’Ancien Évêché. Bastante antigas e imponentes, suas arquiteturas são simples, se comparadas com outras do gênero na França.

No centro da cidade, há uma mistura entre ruas estreitas medievais com prédios antigos e vias com construções de arquitetura tipicamente francesa, com praças, parques, fontes, igrejas e jardins, o que lembra um pouco Paris. Alguns dos lugares mais bonitos são o Jardin de Ville, com o prédio da antiga prefeitura, a Place de Verdun e a Place Victor Hugo, onde é instalado um tradicional Mercado de Natal no fim do ano.

Dotada de um passado prestigioso, grande centro universitário desde 1339, Grenoble soube preservar o testemunho de seus 2000 anos de história. O Museu do Antigo Episcopado retraça a história de Isère, da pré-história aos nossos dias; o Museu Dauphinois, de arte e tradições regionais, está instalado no antigo convento da Visitação de Marie-d’en-Haut (século XVII), cuja capela é uma jóia da arte barroca. O Museu da Resistência e da Deportação relata a história da segunda guerra mundial e da resistência em Grenoble e em Isère, com uma museografia contemporânea. Não deixe de ver: a Maison Stendhal, casa onde nasceu o autor de Le Rouge et le Noir, o Museu Stendhal dedicado ao escritor e o insólito Museu dos Autômatos. A alguns quilômetros de Grenoble, o castelo de Vizille abriga o Museu Nacional da Revolução Francesa.

Para as atividades culturais, a cidade dispõe de diversos museus (História Natural, Museu de Grenoble, Museu de Stendhal…), bibliotecas, cinemas, o teatro de Grenoble e igrejas. Outros lugares que não se pode deixar de visitar são: a cave do licor da Chartreuse (a maior cave de licor do mundo), cuja fórmula secreta à base de 130 plantas é guardada pelos monges que habitam a montanha de mesmo nome; o forte da Bastille, ao qual pode-se ter acesso pelo teleférico da cidade .

Grenoble ainda conserva características de cidade pequena. Na margem sul do rio, visite a região em torno do Jardin de Ville, Place Grenette, Place Victor Hugo, Église St. Louis e Église St. Andre, onde está a chamada Vieille Ville. O contorno da cidade tem largas e arborizadas avenidas, mas caminhando pela cidade antiga encontram-se ainda áreas exclusivas de pedestres e um comércio muito diversificado.

Grenoble está situada a 560 km de Paris e 280 km de Marselha. Nesta cidade foram disputados os jogos olímpicos de inverno de 1968, e atualmente existem cerca de vinte centros de esportes de inverno na área, sendo que os mais próximos estão apenas a meia hora de carro.

“No fim de cada rua, uma montanha” disse Stendhal para descrever a cidade onde nasceu. O autor de O Vermelho e o Negro, considerado um autor tão importante quanto Balzac ou Zola, descreveu perfeitamente a alma de Grenoble: uma fortaleza no coração da serra, a capital da província do Dauphiné e a cidade que deu nascimento – durante a Jornada das Telhas de 7 de junho de 1788 – à Revolução Francesa!

Atualmente, a prefeitura de Isère é, sobretudo, conhecida como a principal porta de entrada para as maiores estações de esqui da região, tal como as famosas Alpe d’Huez, Deux Alpes ou Autrans. No verão, torna-se uma espécie de pátria dos enamorados das serras, onde podem vislumbrar três das mais lindas cordilheiras da França: Belledonne, Chartreuse e Vercors!

Grenoble é muito mais do que um destino turístico. Com aproximadamente 670 mil habitantes em sua área urbana, é a 11ª cidade mais povoada da França. Especializada na indústria química e nas nanotecnologias, ela é considerada como uma das capitais europeias das ciências e das novas tecnologias. Considerando sua especialização nessas áreas, Grenoble acolhe uma grande quantidade de engenheiros e de técnicos franceses ou estrangeiros. A cidade se tornou a terra de estabelecimento da segunda comunidade anglo-saxã da França, após Paris, – quase 10 mil pessoas em 2009 – essencialmente executivos de empresas internacionais como Caterpilar, STMicroelectronics ou Hewlett-Packard.

 

Veja mais fotos de Grenoble:

Artigos similares

Deixe uma resposta

Topo