Você está aqui
Home > EUROPA > Europa > Itália > Pesaro na costa do Adriático

Pesaro na costa do Adriático

Localizada na região Marche, cortada pelo rio Foglia tem ao leste o azul do Mar Adriático, entre as encostas das colinas e Ardizio San Bartolo. Pesaro não é bem conhecida de turistas estrangeiros mas é um tradicional balneário para visitantes italianos que desfrutam suas praias . Tem uma população de cerca de 94 mil habitantes e é a segunda maior cidade (depois de Ancona) na região de Le Marche, no lado oriental da Itália central. Pesaro é tradicionalmente ligada a tudo que se relaciona ao grande compositor erudito Gioachino Antonio Rossini (1792-1868). A cidade na qual nasceu o artista dedicou a ele ruas, seu principal teatro, seu conservatório, um festival de música lírica (o famoso Rossini Opera Festival, que é realizado nos meses de agosto desde 1980) e mantém sua casa “viva” como museu. Pesaro é considerada a cidade da música, faiança e móveis.

pesaro_03
Aqui encontramos belas praias, e uma interessante história a ser explorada e belas arquiteturas para serem admiradas.

A cidade voltada para o mar Adriático tem ainda um agradável calçadão, com uma bela estrutura de turismo e lazer, repleta de sorveterias e outros lugares gostosinho de lanchar. Em seu centro, destaca-se o Museu da Cerâmica, o mais completo e importante da Itália no gênero. O local abriga um acervo de 3.400 peças e foi inaugurado em 1857, após a aquisição da coleção majólica do cavaleiro Domenico Mazza pela Prefeitura de Pesaro. Na antiguidade Pesaro foi uma antiga colônia que os romanos chamavam de Pisaurum. Depois da queda do Império Romano, a cidade teve sua história marcada por inúmeros conflitos e disputas entre nobres e a Santa Sé. Um desses nobres foi Gianciotto Malatesta, que se tornou famoso por ter assassinado sua esposa Francesca e seu irmão Paolo, conhecidos pela tragédia de Gradara.

pesaro_13

Ao longo da praia existe um calçadão onde pode-se caminhar e apreciar o mar. Ao contrário de muitas estâncias italianas, onde as concessões privadas escondem o mar atrás de muros e cercas, em Pesaro a vista do mar é livre. A bicicleta tem grande importância  no cotidiano da cidade. É tanta que eles criaram até uma “bicipolitana” (na Itália, o metrô é chamado de metropolitana). Trata-se de uma rede de pistas cicláveis articulada por todo o território municipal, com itinerários definidos, cruzamento entre linhas e sinalizações como as de um metrô.

pesaro_10
Palazzo Ducale foi construído em meados do século XV pela família governante Sforza e, hoje abriga escritórios do governo com espaço para exposições.

A cidade já foi reconhecida por suas oficinas de cerâmica conhecida como majólica. No Museu Civici na Piazza Toschi Mosca saída da Via Rossini pode-se apreciar as melhores coleções de cerâmica barroca. Na pinacoteca adjacente ao museu está a obra prima de Giovanni Bellini, a Coroação da Virgem. É uma pintura de grandes dimensões com uma série de painéis menores, e chama a atenção pelas cores e figuras escultóricas. Dizem que o castelo ao fundo da pintura de Bellini é uma fortaleza em Gradara da família Sforza .  Séculos antes da família Sforza decidir morar em Pesaro, a cidade já era uma próspera colônia romana, fundada em 184 aC, provavelmente sobre as fundações de uma cidade ainda mais antiga.  Na Via Mazza tem o Museu Arqueológico que guarda estes objetos romanos antigos.

pesaro_24
Pesaro é um atraente balneário com porto de pesca e centro industrial admirável. A cidade tem ruas largas e, no centro fica a Piazza del Popolo, praça principal, com uma fonte no centro ornadas com cavalos marinhos e tritões.

O período de florescimento cultural e artístico de Pesaro aconteceu durante o governo dos Duques Della Rovere, que construíram os principais monumentos, palácios e prédios públicos da cidade. Na Piazza del Popolo podem ser admirados o Palazzo Ducale, Palazzo Baviera, a Câmara Municipal e o Palazzo delle Poste.

No centro da praça existe uma fonte que substituiu um antigo poço que servia à população. Construída entre 1588/1593, os adornos de cavalos marinhos e tritões foram acrescidos durante os acontecimentos felizes da família Della Rovere, como o nascimento do herdeiro Federico Della Rovere em 1605 e depois quando ele se casou em 1621. Contudo Federico faleceu em 1623 após um surto epilético, o que determinou o fim da dinastia Della Rovere em Pesaro.

Como de hábito na Itália, as praias possuem fileiras de espreguiçadeiras de propriedade das concessionárias. Paga-se para usar a praia, mas tem-se o conforto de alguns serviços como vestiários, chuveiros, guarda-sol, gazebos, salva-vidas, bares, atividades esportivas e de lazer, assim como a conservação e limpeza da praia. Também há praias livres e gratuitas, como Colle Ardizio ao sul da cidade.
Desde 1965, a cidade sedia anualmente a Mostra do Novo Cinema, um dos mais importantes festivais cinematográficos italianos dedicados ao cinema experimental.

pesaro_04
Em Pesaro nasceu o compositor erudito Gioachino Rossini, que criou inúmeras óperas e músicas sacras, entre elas a ópera do Barbeiro de Sevilha. Durante o verão de agosto, acontece o Festival de Ópera, quando a cidade recebe inúmeros artistas de diversas partes do mundo. O palco principal deste evento é o Teatro Rossini, construído em 1818 no Centro histórico da cidade

Nas imediações da Piazza del Popolo está a Casa de Rossini, onde funciona um museu que reúne um acervo de fotografias, documentos e partituras das obras do compositor erudito Gioachino Rossini nascido em Pesaro em 1792. Ele criou inúmeras óperas e músicas sacras, tendo se tornado célebre com sua ópera Barbeiro de Sevilha.A estréia dessa ópera em 1816 foi um fracasso, pois a platéia vaiou e atrapalhou a performance de Rossini. Entretanto ele não desistiu. Com seu humor sarcástico e zombador, Rossini aprimorou acordes e fêz uma segunda sua segunda apresentação, que foi um sucesso e deu-lhe notoriedade.

Rocca Costanza

pesaro_26
Pesaro, projetada e voltada para o mar, se estende por entre as colinas de San Bartolo a noroeste e Ardizio a sudeste, compreendendo o antigo centro histórico, protegido a leste pela imponente Rocca Costanza, e a moderna cidade jardim, alineada ao longo do litoral, com longas ruas arborizadas e retilíneas.

A Rocca Costanza nas imediações da praia dá início ao centro histórico. Construída em torno do ano 1500, desde os tempos antigos é a fortaleza mais importante da cidade. Entre 1864/1969 foi utilizada prisão, sendo atualmente usado como um espaço para eventos culturais. A importância histórica , artística e cultural, com suas colinas em dois níveis, ruazinhas íngremes, é toda cercada pelas antigas muralhas. A região de Pesaro  surgiu em 184 a.C. tendo uma história marcada por disputas e conflitos, e foi um domínio da igreja até o renascimento. Durante a 2a.guerra foi muito danificada. No antigo centro histórico, está a imponente Rocca Costanza e a moderna Cidade Jardim, com longas ruas arborizadas e retilíneas.

pesaro_18
Laurana (arquiteto dálmata que operava em Urbino), presente na cidade em 1476, contribuiu para a edificação da Rocca Costanza (ao fundo nesta foto), relevante exemplo da arquitetura militar, iniciada em 1474.

A fortaleza da Rocca Costanza foi construída no local de um começo fortificação anterior a partir de maio de 1474  pelo famoso arquiteto Luciano Laurana: tem plano de quadrilátero, com torres circulares para os ângulos possui também uma ponte levadiça.

Circulando por Pesaro

Caminhar pelas ruas arborizadas perto da praia significa descobrir belíssimos palácios e casarões em estilo art nouveau, como o Villino Ruggeri que não passa despercebido por quem passa pelo calçadão da Piazza Libertà na orla marítima; uma fantástica obra de arquitetura construída entre 1902/1907.

Igualmente belas são a Villa Molaroni e a Villa Caprile com seus esplêndidos jardins adornados com fontes, que foram projetados para surpreender os visitantes com seus jatos de água. Construída em 1640, entre os seus hóspedes ilustres estão Giacomo Casanova e Napoleão Bonaparte.

Sobre as colinas de San Bartolo está a magnífica Villa Imperiale, que foi construída entre desde o final de 1400 ao princípio de 1500 com um extraordinário jardim. É considerada uma das mais incríveis obras do Renascimento italiano e serviu como residência de nobres da época. No interior da residência há diversos afrescos que decoram as paredes.

pesaro_28
Sfera Grande de Arnaldo Pomodoro

A pouca distância do centro histórico se chega à beira-mar. Ao longo da praia tem um calçadão onde se pode caminhar. Ao contrário de muitas estâncias italianas, onde as concessões privadas escondem o mar atrás de muros e cercas, em Pesaro a vista do mar é livre. Como de hábito, na Itália, as praias têm concessões privadas e fileiras de espreguiçadeiras, onde se paga para usar as praias. Mas se preferir uma praia livre, pela colina no extremo sul da cidade, o Ardizio Colle, é uma opção. Pesaro possui um grandioso acervo histórico e artístico, além de tradições culturais que são mantidos nos diversos museus, bibliotecas, palácios e igrejas. Além da Catedral há inúmeras igrejas, entre elas tem destaque a Igreja In Nome de Dio. Totalmente decorada, com grandes pinturas que retratam o Velho e o Novo Testamento, nessa igreja pode ser admirado um antigo órgão que foi restaurado e funciona.

pesaro_06

No decorrer do século XIII Pesaro era às vezes governada por papas e às vezes imperadores. Em 1285 a família Malatesta criou raízes na cidade tornando-se gradativamente verdadeiros donos do lugar. No ano de 1445 venderam seus direitos para Francesco Sforza. No ano de 1512, através da influência de Júlio II, os Sforza foram superados pelo sobrinho Francesco Maria, duque de Urbino. Leão X tomou a cidade de Francesco e deu para Lorenzo de Médici, mas com a morte de Lorenzo, Francesco foi restaurado e Pesaro tornou-se a residência habitual dos duques de Urbino até a morte de Francesco. Em 1631 voltou ao membros da Igreja e fez parte do reino da Itália até 1860.

Veja mais fotos de Pesaro:

Artigos similares

Deixe uma resposta

Topo