Você está aqui
Home > EUROPA > Europa > França > Toulouse a quarta maior cidade da França

Toulouse a quarta maior cidade da França

A quarta metrópole da França não só tem uma herança arquitetônica rica, mas uma veia intelectual. Ela está no coração da indústria aeroespacial europeia. Além disso, tem vida universitária intensa e importantes talentos na arte moderna. Não por acaso os toulousains se sentem tão bem com sua cidade. Apelidada de ‘Ville Rose’ por causa dos prédios cor-de-rosa, fica às margens do rio Garonne e do histórico Canal du Midi, no meio do caminho entre o Mediterrâneo e o Atlântico.  A região urbana de Toulouse tem cerca de 1 291 517 habitantes.

Capitole, a prefeitura de Toulouse. O nome Capitole vem do fato que na Idade Média era lá que os capitouls que eram os “vereadores” da cidade se reuniam, capitouls, capitole. DAqui da Place du Capitole, já que é essa praça que saem as principais ruas e avenidas de Toulouse.

 Place du Capitole, o centro geográfico e histórico da cidade. Praticamente todas principais avenidas de Toulouse irradiam desta praça, fazendo dela um bom ponto para iniciar a exploração da Ville Rose. Outra imagem feita na Place du Capitole, na verdade não uma praça, mas sim uma área livre frente ao prédio do Capitole, onde está a prefeitura da cidade. Com arquitetura magnífica, ao estilo de um palácio, ele abriga além dos escritórios governamentais um teatro.

 

Interessante visitar as ruínas do anfiteatro romano de Toulouse, onde, na época de dominação romana, eram realizados combates de gladiadores e outros espetáculos do gênero. Ao lado do anfiteatro (Avenue des Arenes Romaines) existe um interessante museu, onde estão em exibição vários objetos datando daquele período.

Toulouse é quarta maior cidade da França, a cidade é muito conhecida e famosa pela sua arte, já que é reduto de inúmeros artistas e pintores.

Toulouse, mais conhecida como La Ville Rose. Não vai ser muito difícil você descobrir porque Toulouse tem esse nome, já que chegando à cidade você verá que a maioria dos prédios são feitos de tijolos da cor rosa.

Além de história e arte, Toulouse também fornece ao país um de seus mais avançados centros de tecnologia, representado pela gigante da aeronáutica Airbus. Ainda assim, é pouco provável que um turista preste atenção a estes detalhes de imediato. O mais provável é que sejam vistos, ao primeiro olhar, os belos e imponentes prédios históricos, as largas e generosamente arborizadas avenidas, as estreitas ruelas do centro histórico, os charmosos cafés e restaurantes, e principalmente as pessoas, que dão um ar cosmopolita à capital de Midi Pyrénées.

Antigamente Toulouse era lembrada como a “Cidade dos três S”. A Cidade Santa (la Sainte), Sábia (la Sage) e Suja (la Sale). A justificativa estava no fato de ser uma cidade com 90 igrejas, 43 conventos e uma das primeiras a aderir em massa ao Cristianismo (Cidade Santa), de antigas e prestigiadas universidades e academias (Cidade Sábia) e com ruas estreitas e sem sistema de esgotos onde os animais circulavam livremente pelas ruas (Cidade Suja).

Um cruzeiro ao longo do rio Garonne e seus canais oferece o ponto de vista perfeito para se ter uma idéia da disposição da cidade e vislumbrar muitos dos monumentos do Velho Mundo de Toulouse.

Num dia de sol vale o passeio pela beira do rio Garonne que banha a cidade, saindo do Capitole dá para seguir até o Quai de la Daurade e seguir pelas margens do rio. Na França todos os grandes rios são represados e sempre tem uma parte aberta apenas aos pedestres.

Basílica de Saint-Sernin foi consagrada em 1096 pelo papa Urbano II e elevada à categoria de basílica em 1878.

A Basilique Saint Sernin (Basílica de São Saturnino ), construída em 1096 é o mais importante monumento da cidade e o destaque do seu interior é a Porte Miègeville, totalmente decorada com esculturas do século XII. Esta basílica constitui o mais importante monumento da cidade e um dos mais bem conservados templos em estilo romanesco da Europa. Em seu interior merecem destaque as colunas ornadas com motivos bíblicos e suas cinco naves, algo bastante incomum no estilo arquitetônico adotado na época. No eixo central da basílica também pode ser vista outra obra prima, o baixo relevo intitulado Cristo em sua Majestade, trabalho do século 11. Na cripta, estão sepultados diversos santos, e ao que consta, um dos espinhos da coroa de Cristo.

O que falam os guias da cidade: São Saturnino foi bispo de Toulouse no ano de 250 e na época o Cristianismo ainda não estava totalmente estabelecido. Havia uma festa pagã e pediram a ele para se curvar diante de um dos deuses pagão, como ele era cristão ele se recusou a adorar um deus pagão e como punição amarraram ele nos pés de um touro que seria sacrificado.Contam que o touro saiu correndo em disparada arrastando o corpo do bispo e só parou no lugar onde hoje é a basílica. A basílica só foi construída alguns séculos depois, e no começo era apenas uma pequena igreja memorial em homenagem ao santo. A basílica atual só começou a ser construída no século XI com a ajuda dos peregrinos que iam fazer o Caminho de Santiago, muitos deles começavam o caminho em Toulouse.

O nome desta cidade deu origem aos nomes das localidades de Tolosa, em Portugal e Tolosa, na Espanha.

Encontramos em Toulouse o Canal du Midi, curso artificial de água, que corta a cidade e liga o mar mediterrâneo ao oceano Atlântico. Dez mil homens trabalharam durante dez anos para construir este projeto do engenheiro Pierre-Paul Riquet, apresentado em 1667 ao rei Luis 14. Seu objetivo era proporcionar uma via alternativa e mais rápida para o transporte de bens e serviços e na época a obra teve um impacto semelhante ao que causou a construção do túnel sob o Canal da Mancha. Ao longo dos 241 km de extensão do Canal du Midi pode-se apreciar uma diversidade de diferentes paisagens urbanas e rurais da França.

Toulouse conta histórias curiosas. Foi berço de Carlos Gardel, famoso cantor de tango argentino, e refúgio-chave para o exílio republicano espanhol.Tem uma avançada tecnológica e é sede de empresas do setor náutico e aeroespacial. E todos os anos recebe 15 mil novos residentes, em parte graças à AirBus, instalada à saída da cidade.

Localizada numa área estratégica, perto das montanhas e do mar, assim no inverno você pode esquiar a 1h de distância nos Pirineus e no verão tem o Mar Mediterrâneo que fica a mais ou menos 1h de distância também e tem muitas cidades interessantes para visitar nos arredores.

Sob suas torres de igreja medievais, a teia de ruas de pedras arredondadas está repleta de museus de arte, teatros, novas butiques de moda, vida noturna ininterrupta e um crescente número de restaurantes finos servindo de tudo, de alta gastronomia a um farto cassoulet. E, graças a sua localização no sudoeste ensolarado da França —mais perto de Barcelona do que de Paris—, Toulouse está repleta da vibração latina descontraída. Não é de se estranhar que “La Ville Rose”, assim batizada por causa dos tijolos com tons rosados em muitos de seus velhos edifícios, seja a cidade que mais cresce na França.

Igreja dos Jocobinos , aqui estão os restos mortais de São Thomas de Aquino.

Igreja Católica dominou Toulouse com os seus inúmeros estabelecimentos religiosos (21 conventos, oito seminários). Hoje alguns deles são extasiantes pontos turísticos. Como o convento e a igreja dos Jacobinos, que guarda as relíquias de são Tomás de Aquino e que foi o primeiro convento dominicano, criado pelo próprio são Domingos.
O edifício, de tijolos aparentes, tem no interior um claustro com um jardim muito bem cuidado e rodeado de colunas de 22 metros de altura. Não é difícil imaginar um “recreio” dos padres, reunidos sobre a grama bem verdinha.
As obras da igreja começaram em 1216 e demoraram dois séculos para serem concluídas. Ao entrar nela, não se esqueça de olhar para cima e admirar a abóbada em forma de palmeira. O edifício é um daqueles “monstros” massivos cujas impressionantes altura e largura diminuem o ser humano.

Quem for bom observador vai ver que nas ruas de Toulouse existem duas placas com nome de rua, a primeira é em francês e a segunda é em occitano, a língua regional do sul da França. A França tem várias línguas regionais e em alguns casos funcionam como uma segunda língua realmente e tem caráter semi-oficial.

CENTRO COMERCIAL: Para aqueles que não resistem a umas comprinhas na Place St. Georges há várias lojas na rue du Rampart St. Etienne. Nesta praça há também cafés e restaurantes. Nas ruas croix-baragnon, st. Antoine du t e rue des arts há lojas mais em conta.

Os franceses costumam dizer que os tijolinhos de Toulouse são cor-de-rosa de manhãzinha, vermelhos ao meio-dia e lilás no horário do pôr-do-sol. Sob a garoa constante do inverno, porém, esse degradê praticamente inexiste, e os tijolos ficam num tom constante de vermelho escuro, mais caído para o roxo. Seja qual for o tom que o turista enxergue, ele vai perceber o quanto esse material de construção diferenciou as fachadas de Toulouse, tornando-a uma das cidades mais charmosas da França.

Roda gigante: Durante os meses de verão, a roda gigante de Toulouse vira uma atração, ela fica na beira do Rio Garonne e por 5€ você consegue dar umas voltas e ter uma das mais belas vistas de Toulouse, já que a cidade não tem tantos prédios altos e a vista da roda gigante dá para ver boa parte da cidade.

Veja mais fotos de Toulouse:

Artigos similares

Deixe uma resposta

Topo